segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Sobre o Globo de Ouro

Um comentário rápido:

Não é segredo que o Globo de Ouro não exerce mais tanta influência no Oscar como anteriormente, mas a premiação fez crescer a força de alguns filmes e diminuir a de outros: Juno, completamente esnobado, perdeu para Sweeney Todd em Melhor Filme Comédia/Musical (o que a meu ver também não faz crescer as chances em torno do filme de Burton - até porque, vejam bem, os dois últimos filmes ganhadores dessa categoria também foram esquecidos pela Academia) e Ellen Page (em quem apostei) foi derrotada por Marion Cotillard (Piaf), mas mesmo assim deve aparecer na lista do Oscar (de qualquer modo, Julie Christie, vencedora de Melhor Atriz Drama, é franca favorita e isso não deve mudar nas próximas semanas), e sai enfraquecido da cerimônia (ops... cerimônia?). Outras surpresas foram a vitoria de Desejo e Reparação em Melhor Filme Drama, o que certamente o fortalece (logo quando estava decaindo), mas não tira o favoritismo de No Country for Old Men, que ficou com as estatuetas de Melhor Roteiro e Melhor Ator Coadjuvante, com os Coen perdendo o prêmio de direção para Schnabel e seu O Escafandro e a Borboleta (que ganhou Melhor Filme Estrangeiro, como previsto), o que me faz questionar se sua vitória nesta categoria no Oscar é realmente certeza (ok, nenhum outro apresenta grandes chances, mas, bem, é uma dupla e um filme sem a cara da Academia - e, sinceramente, eu realmente acho que a premiação deste ano terá várias surpresas). Outra que surpreendeu foi Cate Blanchett, ganhadora de Melhor Atriz Coadjuvante por I'm Not There, o que deixa a sua disputa com Amy Ryan (a favorita, ao meu ver) mais acirrada. Javier Bardem, melhor Ator Coadjuvante, se firma como franco favorito, a maior barbada ao lado de Julie Christie.

Um comentário:

Fernando disse...

Olá, não conhecia ainda seu blog novo. Sempre fui leitor do anterior, mas nunca comentei. Estou botando muita fé em O Escafandro e a Borboleta, penso até que tem chances de levar melhor filme, a Academia anda muito imprevisível ultimamente e já que o filme dos irmãos Coen não tem muita cara de Oscar nem o do Paul Anderson, acho que esse seria um grande contender.